30 de março de 2006

falso lugar #021




sobra de todo o silêncio
o raro acorde
do teu nome


a que solidão altíssima
me entregas
quando te deixas morrer assim
no abraço faminto
do tempo?



foto de abbas kiarostami

1 comentário:

Fernanda disse...

Está lindíssimo este blog, belos textos e a tua poesia é extremamente bela. Parabéns. Tenho que vir cá mais vezes, quando tiver tempo.